segunda-feira, 8 de julho de 2013

Francisco


Tenho muito pouco, nada, de católico. Tenho apenas o pouco de cultura que o acaso de ter nascido nela pode dar. Mas não pratico, nem creio. A minha fé é outra. Porém, acredito e conheço o suficiente de História para não deixar passar em claro a importância, a influência, que a Igreja e o seu Papa têm na vida mortal. Não deixa de ser extraordinário que, num momento em que o mundo, e em particular o mundo contemporâneo, ocidental, judaico-cristão, passa por uma das suas mais graves crises de identidade, seja da Igreja Católica e deste seu novo Papa que surja um sinal no sentido certo. No meio de toda a imoralidade, da selvática guerra financeira e do desinteresse global, Francisco, em Lampedusa, indica o caminho. Não é preciso ser católico para entender a verdade do gesto que nos diz que ao nosso lado há sempre alguém que sofre, que perdeu tudo, ao ponto de arriscar a vida por uma hipótese de futuro. E o desespero já não está só em Africa, está aqui, ao lado de cada um de nós. “Tende a coragem de acolher aqueles que procuram uma vida melhor”…

1 comentário:

Newton Avelino (Artista Plástico) disse...

Eu gostei muito do seu blog. sempre que eu puder voltarei aqui.

Será uma honra em tê-lo com um seguidor.

O meu blog é:

http://www.aartedenewtonavelino.com

BRAZILIAN ART AND CULTURE