quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

boletim metereológico

...a propósito desta notícia, será que os boletins metereológicos da RTP-Açores vão passar a ser com a Isabel Gomes a ler a página do Windguru?

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

desesperadamente à procura do mundo real

...chegar a casa ao fim do dia, a mulher ainda a trabalhar, a empregada saí, a mais velha faz uma birra que quer ver ver o Monster's Inc pela centésima vez, a mais nova só não chora quando está ao colo (mas o pai tem que estar em pé e a balançar de preferência...), alguém me explica quando é que o mundo se transformou numa ditadura das crianças?

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

a confirmação de tudo o que já sabiamos











Santa Catarina, rider: Ricardo Faustino, photo: Hugo Miguel

sábado, 22 de outubro de 2011

post para Nuno Barata

ao jeito da blogosfera circa 2003

Meu Muito Querido Amigo
Apesar da montanha russa emocional dos meus últimos dias, não posso deixar de te transmitir o meu profundo pesar, para não dizer incómodo, ao ler o teu post sobre o IVA dos espectáculos.
A frase brutal de que os “espectáculos são mera alienação” atingiu-me como um bloco de cimento em cheio no estômago. De um amante de livros para outro, não posso acreditar que realmente penses assim e só compreendo tal boutade pela ditadura do efeito sensacionalista do post e da ânsia de contraditório.
A verdade, meu querido amigo, é que a humanidade seria infinitamente mais triste e pobre sem a representação, a música, o bailado, etc., etc., etc. Por maior que seja o nosso amor aos livros, quão lastimável seria uma existência apenas feita de fólios e pergaminhos, que bolor monástico nos governaria os espíritos num mundo de prateleiras, bibliotecas e traça.
A suprema execução da literatura é a sua representação diária. Mais, sem drama, sem humor ou ritmo é impossível a existência de verdadeira literatura. Nem os melhores dos ensaístas viveram sem a representação dos seus actos.
Desde a mais clássica antiguidade, desde Homero, o primeiro, múltiplo, contador de histórias que “os espectáculos” foram elementos fundamentais para a realização da existência, para a concretização do significado da vida. Sófocles, Shakespeare, Beckett, fizeram do teatro a condensação suprema do significado da alma. Pensar num mundo sem música, sem ópera, sem a consagração plural e universal do espírito humano através do ritmo e do compasso e da história dos seres é abdicar da probabilidade do humano.
A realização da arte é feita pela sua partilha, do autor ao público e de público em público pela sua representação, reduzir isso a um fenómeno individual, solitário, vazio e triste é abdicar do seu poder redentor. Por mais imprescindível que seja a leitura.
E já nem vou falar do valor do cinema, 7ª (número mágico) Arte que a mim tanto me ensinou e que é uma arte pública por excelência.
Perdoa-me Nuno, mas pensar que a vivência e a experiência da arte são fenómenos menores perante a possibilidade do estudo dos cânones é abdicar em absoluto do que mais profundamente nos faz humanos - a necessidade de partilhar a experiência do conhecimento. Não me interessa sequer se é o Quim Barreiros ou o Stockhausen, uma sociedade sem a possibilidade de fruir universalmente da cultura é uma sociedade imperfeita.
É por isso que a visão economicista não está em quem contesta esta medida idiota e inculta de subir o IVA às artes performativas como se fossem luxos taxáveis ao mais alto percentil, o economicês bárbaro está em quem acha que a arte só existe nos pergaminhos, esquecendo tudo o que de arte é feito em vida.
Abraço amigo, na esperança, de certo partilhada, de dias melhores.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

adágio para estes dias

"Always forgive your enemies; nothing annoys them so much."
Oscar Wilde

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

pequenos momentos de auto satisfação...

"It seemed like there were a lot of scores and a lot of waves all round. It is going off so you want those kind of heats. This is what you want for a contest, overhead, off-shore and just really fun."
Gabe Kling (Florida,USA) 31, best score, two-wave combined total of 18.47


Naquele que foi, provavelmente, o mais importante dia na história do surf açoriano e, também, na história do surf nacional. Independemente do que se venha a passar a seguir. Hoje foi épico.

the azores...

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

terça-feira, 13 de setembro de 2011

a Europa no limiar do precipício

no meio da tempestade perfeita um alto responsável da Comissão Europeia apela à humilhação pública dos estados membros que cometam traquinices económicas. É o princípio do fim, a Europa olha para o precipício e parece embriagada com a vertigem, basta um dedo e ploft!… era bom que alguém fizesse alguma coisa.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

do incomparável

No seu primeiro grande momento de iliteracia (para não lhe chamar outra coisa) Pedro Passos Coelho, algures entre cimeiras europeias, comparou a queda de Tripoli com o 25 de Abril. “O fim do regime de Muammar Kadhafi na Líbia foi «uma espécie de 25 de Abril», afirmou esta quinta-feira em Paris o primeiro-ministro português”. Temos um primeiro-ministro que não conhece a história do seu país e os intelectuais, bem pensantes e instruídos, da nação, que zurziram na licenciatura de José Sócrates, não se comovem. Que falta que faz um Antero de Quental nestas alturas…

terça-feira, 30 de agosto de 2011

sobre eleições

ou muito me engano, ou estas declarações - "O ministro dos Assuntos Parlamentares anunciou ainda que as emissões da RTP Madeira e da RTP Açores vão ser reduzidas para quatro horas por dia, das 19:00 às 23:00." - do ministro/ex-secretário-geral do PPD/PSD Miguel Relvas acabaram de dar a vitória ao PS nas próximas eleições regionais...

a seguir com atenção!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

"Take This Waltz"

Now in Vienna there's ten pretty women There's a shoulder where Death comes to cry
There's a lobby with nine hundred windows
There's a tree where the doves go to die
There's a piece that was torn from the morning
And it hangs in the Gallery of Frost


Ay, Ay, Ay, Ay


Take this waltz, take this waltz
Take this waltz with the clamp on its jaws
Oh I want you, I want you, I want you
On a chair with a dead magazine
In the cave at the tip of the lily
In some hallways where love's never been
On a bed where the moon has been sweating
In a cry filled with footsteps and sand


Ay, Ay, Ay, Ay


Take this waltz, take this waltz
Take its broken waist in your hand


This waltz, this waltz, this waltz, this waltz
With its very own breath of brandy and Death
Dragging its tail in the sea


There's a concert hall in Vienna
Where your mouth had a thousand reviews
There's a bar where the boys have stopped talking
They've been sentenced to death by the blues
Ah, but who is it climbs to your picture
With a garland of freshly cut tears?


Ay, Ay, Ay, Ay


Take this waltz, take this waltz
Take this waltz it's been dying for years


There's an attic where children are playing
Where I've got to lie down with you soon
In a dream of Hungarian lanterns
In the mist of some sweet afternoon
And I'll see what you've chained to your sorrow
All your sheep and your lilies of snow


Ay, Ay, Ay, Ay


Take this waltz, take this waltz
With its "I'll never forget you, you know!"


This waltz, this waltz, this waltz, this waltz ...


And I'll dance with you in Vienna
I'll be wearing a river's disguise
The hyacinth wild on my shoulder,

My mouth on the dew of your thighs
And I'll bury my soul in a scrapbook,
With the photographs there, and the moss
And I'll yield to the flood of your beauty
My cheap violin and my cross
And you'll carry me down on your dancing
To the pools that you lift on your wrist

Oh my love, Oh my love
Take this waltz, take this waltz
It's yours now. It's all that there is

Leonard Cohen, prémio Príncipe das Asturias

terça-feira, 26 de abril de 2011

pequenas estupefacções

supostamente os Homens da Luta ridicularizavam os arquétipos da esquerda radical e, subitamente, tornaram-se na mascote dessa mesma esquerda, sic transit gloria mundi...

pequenas exaltações

o primeiro passo para a presidencialização do regime...


Sampaio, Soares, Eanes e o próprio Cavaco pediram uma concertação de esforços.
Cavaco convidou-os, e não hesitaram um segundo. Apareceram ontem juntos no Pátio dos Bichos, do Palácio de Belém, onde iam decorrer as cerimónias do 25 de Abril.

fonte: DN

sábado, 16 de abril de 2011

passos na direcção certa

A propósito da questão das zonas balneares e a marcação da chamada época balnear, a sua gestão e planeamento, o seu relacionamento com os desportos de ondas, nomeadamente a salvaguarda de ondas e a relação dos surfistas com os banhistas, que nos últimos dias se tornou assunto do momento com surfistas a fazerem salvamentos, os Açores acabam de aprovar, por unanimidade, na Assembleia Legislativa Regional, um Decreto Legislativo Regional pioneiro - zonas de surf devidamente assinaladas nos planos e com predominância sobre outros usos e época balnear alargada, abrindo mesmo a porta a zonas balneares em funcionamento todo o ano - agora é só esperar pela publicação, e os surfistas fazerem devidamente o seu trabalho junto das autoridades camarárias e governamentais.
Dois destaques MUITO importantes:
Proposta de Decreto Legislativo Regional

Regime jurídico da gestão das zonas balneares, da qualidade das águas balneares e da prestação de assistência nos locais destinados a banhistas.

...

Artigo 9.º

Desportos de ondas e Windsurf

1. Os planos de ordenamento aplicáveis à zona costeira definem as áreas reservadas à prática de desportos de ondas e windsurf.

2. Nas áreas referidas no número anterior, a prática de desportos de ondas e de windsurf tem precedência sobre todos os usos, incluindo o uso balnear

...

Artigo 24.º

Duração da época balnear

1. A duração da época balnear para cada água balnear é definida em função dos períodos em que se prevê uma grande afluência de banhistas, tendo em conta as condições climatéricas e as características geofísicas de cada zona ou local, e os interesses sociais ou ambientais próprios da localização.

...

O diploma pode ser lido na integra aqui

E, perdoem-me a imodéstia, mas este diploma é uma conquista, também, da comunidade de praticantes de surf e bodyboard e do trabalho desenvolvido nos últimos anos pelas suas associações regionais.

Salvam-se vidas e salvam-se ondas!

terça-feira, 29 de março de 2011

surfistas improváveis

Julian Schnabel, at Art Gallery of Ontario, with Painting for Malik Joyeux and Bernardo Bertolucci V & VI (2006)

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

dos bons exemplos

Santa Catarina

Obra
(para já)
está na onda


A obra de contenção da orla marítima na zona dos combustíveis da Praia não está a ter reflexos nas ondas, diz João Monjardino da Associação de Surf, em visita ao local com Nuno Domingues, diretor regional dos Transportes Aéreos e Marítimos


As obras de contenção da orla marítima do Terminal de Combustíveis da Praia da Vitória tem sido efetuada de modo a não causar reflexos na onda de Santa Catarina.
O diretor Regional dos Transportes Aéreos e Marítimos, Nuno Domingues, visitou durante a tarde ontem as obras da empreitada de contenção da Orla Marítima do Terminal de Combustíveis da Praia da Vitória.
Em análise está a estratégia a utilizar para não prejudicar a afamada onda de Santa Catarina.
Nuno Domingues afirma ter vindo ver o andamento da obra juntamente com a Associação de Surf da Ilha Terceira, de modo a entender a influência que a obra pode ter na onda.
"Esperemos que a onda não seja danificada, daí que tenhamos feito um simples ensaio neste pequeno acesso, colocando umas rochas exatamente na zona onde vai ficar a estrutura projetada e vamos deixá-la assim durante uns tempos", afirmou.
Se não houver qualquer reflexo, continuou, "e se os surfistas sentirem que não há problema podemos fazer a estrutura. Em caso de haver reflexão, temos a possibilidade de puxar a obra um pouco mais atrás, uma vez que temos espaço para tal", adiantou.
Nuno Domingues garantiu não ser intenção da tutela estragar um espaço que tem uma onda natural e de grande qualidade, uma vez que o espaço que têm "é mais que suficiente para não interferir com o local frequentado pelos surfistas".
"Daí que estejamos a efetuar este ensaio, que tem um custo zero, para ver se há realmente alguma reflexão ou não. Desta forma, daremos um prazo de cerca de um mês e meio para que possam averiguar se realmente a obra tem influência ou não", acrescentou.
João Monjardino, da Associação de Surf da Ilha Terceira, esteve presente no local da obra onde admitiu que até ao momento, as construções da estrutura não têm influenciado a rebentação das ondas.
De qualquer forma, Nuno Domingues pediu que os praticantes de surf estivessem atentos durante o próximo mês de modo a verificar se há realmente alguma reflexão para que seja então recuada a estrutura de contenção da orla marítima.
Dada a dimensão da empreita da orla marítima, o diretor regional dos Transportes Aéreos e Marítimos assume que a zona de Santa Catarina pode ser executada no final, de modo a que haja tempo para se retirarem conclusões do seu prejuízo na onda.
Esta empreitada representa um volume de investimento de 1.970.000 euros e tem um prazo de execução de oito meses.
Fonte: Diário Insular

Bom para acalmar os ânimos de alguns alarmistas de ocasião. Para breve mais boas notícias vindas da mítica Santa Catarina

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

das pequenas diferenças

Uma coisa é gostar de futebol e das suas glórias, grandes e pequenas. Outra coisa é ser do Benfica e sofrer com as derrotas e amar as vitórias com uma alegria ridícula e inexplicável. Outra coisa completamente diferente é ganhar ao Porto e ganhar como ontem, depois de ter perdido, e ter no plantel um gajo como o Fábio Coentrão que faz esquecer a partida do David Luiz


sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

presidente reformado

Não tomem isto como uma manifestação mesquinha de rancor, para isso já nos bastou o discurso do prof. Cavaco na noite da vitória. Mas vindo de quem tanto fala de ética e de moral, de superioridade de carácter e de ser impoluto, branco como o OMO, “nascer duas vezes…” e outros dislates, não deixa de ser surpreendente que o mesmo prof. Cavaco, que se candidatou a um segundo mandato, sabendo de ante mão ao que ia, opte de forma sonsa por duas pensões de reforma, que perfazem mais ou menos dez mil euros, em vez do vencimento de Presidente da República que não chega aos sete mil e quinhentos. Não vale a pena grandes adjectivos, basta dizer que quem se gere por mecanismos destes não percebe nada de "bom senso e de bom gosto". Como diz o povo – mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O Sr. Rodrigues vai a Lisboa

Por uma razão e por esta e por outra o Sr. Rodrigues vai a Lisboa. No avião, por suspeita de estar grávida a mulher do Sr. Rodrigues não toma o victan que lhe acalma o medo de andar de avião, também conhecido por síndrome da falta de controlo manual e visual no volante da vida. Ao chegar a Lisboa o Sr. Rodrigues passa duas horas a conduzir de um extremo ao outro da cidade entre deixar malas, ir ao supermercado e voltar a casa de familiares. Aí, o Sr. Rodrigues descobre a filha em pranto. Todos os familiares têm um diagnóstico sobre as dores da criança, que termina numa ida tardia à Urgência Pediátrica de um Hospital. O Sr. Rodrigues espera, acompanha, desespera e aguenta até um veredicto final de fracturazinha no dedo, sem direito a gesso e com Brufen de seis em seis horas e Reumon Loção três vezes por dia, entretanto três horas de corredores, médicos, enfermeiros, assistentes, febres, choros, raio-x, pediatra, ortopedista, sono, cansaço, choro, farmácia, casa. O Sr. Rodrigues chega a casa, dorme. O Sr. Rodrigues vai ao chiado. O Sr. Rodrigues vai comer percebes à Ericeira. A Mulher do Sr. Rodrigues fica doente. O Sr. Rodrigues fica doente. O Sr. Rodrigues tem diarreia, febre, não deseja abrir os olhos. O Sr. Rodrigues passa seis horas em posição fetal, deitado numa cama, sem se conseguir mexer. Dois dias depois, ao sair de casa o Sr. Rodrigues descobre que o carro foi rebocado. O Sr. Rodrigues telefona para a esquadra. A esquadra remete para um sms. O sms confirma o carro no parque do Restelo. Um agente informa de um pagamento ao estado de 120 euros. Sr. Rodrigues apanha um táxi. O Sr. Rodrigues paga 135 euros sem discutir o significado de “período completo de vinte e quatro horas” com o agente. A mulher do Sr. Rodrigues não melhora. Ao terceiro dia uma breve tentativa de sair de casa ao centro comercial mais próximo termina em rápido regresso por motivo de desmaio iminente. O Sr. Rodrigues faz canja. O Sr. Rodrigues arruma a casa e faz biberões e lava biberões e vê a SIC Noticias. O Sr. Rodrigues faz malas, transporta malas e ao sexto dia ruma ao aeroporto e de avião à ilha. O Sr. Rodrigues acredita que a Vida imita a Arte. O Sr. Rodrigues solicita que não seja chamado de novo a fazer parte do enredo de novela fantástica de um qualquer jovem escritor de língua portuguesa em inicio de carreira.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

boas palavras para começar o ano

Tem um plano?
Pus um prazo a mim mesmo para andar nestas coisas em que ando, principalmente a política. Termina quando o 25 de Abril fizer 48 anos. Quando tivermos tanto tempo de democracia quanto tivemos de ditadura. A ditadura estava errada. Mas a suprema vingança sobre a ditadura é a seguinte: em 48 anos de democracia fizemos um país muito melhor, mas muito melhor!, do que em 48 anos de ditadura. A partir daí, há outros que pegam nisto.

do sempre entusiasmente Rui Tavares, na Pública de 2 de Janeiro.